AMIGOS....

O BLOGUE CANARILMAFRA.JM

Mafra 15/Agosto/2011 . Este espaço serve para partilhar com todos vocês os meus "conhecimentos" e o meu dia a dia com um hobby envolvente como este do mundo dos canários. Desejo a todos os que por aqui passem uma excelente época de muda. E para todos desde já fica a dica... se precisarem... perguntem! não se inibam! Alguem um dia fez o mesmo comigo... para todos um abraço, José Martins

3.5.12

Avaliar doenças nos Canários pela visualização das Fezes


A cor das fezes e a sua importância na identificação de doenças nos Canários

Como me têm sido pedido várias vezes ajuda em relação às diarreias.
E muitas vezes sobre doenças que afectam os Canários vou tentar mostrar-vos o que pela observação das fezes podemos retirar como ensinamento para as prováveis causas de doenças dos canários…
Como disse tem que ser individualizada CADA POSSIBILIDADE DE DOENÇA  e os olhos do criador são extremamente importantes na observação diária.
 Por natureza as aves tendem a esconder suas doenças, pois no mundo animal os predadores procuram os mais fracos, sendo assim muitas vezes quando observamos e verificamos que as nossas aves estão doentes já é tarde demais.
Quantos de nós não vimos o pássaro de manhã “impecável” e á noite… morto!!!
Pois…estava doente e não percebemos.
Mas existem sinais que podemos usar para descobrir certas doenças encapotadas.
E a análise das fezes é fundamental.
 Temos alguns sinais importantes que com o de observar das fezes e com a capacidade de as “ler” nos ajudam, é isso mesmo... olhar para o cócó...

OLHAR  PARA AS FEZES
Todo o Criador de aves deve saber como são as fezes normais ( ditas sãs).
E ainda, observar as fezes (frescas) periodicamente, pois alterações significativas alertam-nos de que algo não vai bem com a ave.
As alterações das fezes costumam vir antes mesmo de a ave apresentar sintomas clínicos, permitindo que nós nos antecipemos e podendo de forma preventiva iniciar a cura.

Vamos então analisar o dito CÓCÓ!!!
As fezes são compostas por 3 partes: fezes(em si), urato e a urina :
A primeira porção é chamada de fezes propriamente dita, de consistência sólida, podendo sua cor variar entre o Verde-escuro e o Castanho-escuro (aves que se alimentam de sementes com poucas sementes negras) ou Castanho/Negro, (aves que se alimentam de rações e excesso de sementes negras).
 As fezes podem apresentar outras colorações, dependendo do que for ingerido (por exemplo, a beterraba ou o corante pode fazer com que as fezes tenham uma cor mais avermelhada, próxima a cor de sangue). Por isso é importante prestar atenção ao que a ave consome para poder melhor avaliar as mudanças de cor das fezes.
E os seus porquês…

FEZES NORMAIS:
Normalmente de cor acastanhadas ( decorrente da cor do alimento ingerido
À segunda porção das fezes  chamamos urato, de cor branca e opaca.
 É resultado da digestão e do metabolismo de proteínas pelo organismo, e é eliminado através dos rins.
 Urato tingido de verde ou amarelo indica que a ave está com doença hepática. Urato tingido de verde pode indicar que o pássaro foi acometido de infecção causada pela "Chlamydophila" (clamidiose).Se assim for tem de ser IMEDIATAMENTE TRATADA.

A terceira porção das fezes é a urina, produzida pelos rins.
 A quantidade de urina nas fezes vai depender da quantidade de líquido ingerido (água, frutas, vegetais). Tem-se a falsa ideia que a ingestão desses alimentos provoca diarreia. Justamente pelas fezes se tornarem mais aquosas/liquidas.
O que não é totalmente verdade.
 É importante acompanhar de perto a quantidade de urina eliminada, pois pode ser decorrente de doença renal.
Outra observação importante é que as aves podem eliminar urina sem fezes e urato, ou eliminar urato e a urina sem fezes.

Vale ainda ressaltar que aves que passam por situações de stress (mudança de ambiente, acidentes, convalescença de doenças, etc.) podem ter suas fezes alteradas (diarreicas, verdes escuras brilhantes, uratos tingidos, etc.) por um período, voltando depois paulatinamente ao normal.
Para melhor analisar as fezes, indicamos usar papel toalha( no fundo/chão) na gaiola  e de cor clara.
 Alterações significativas e persistentes, devem ser levadas em linha de conta e se desconfiamos de alguma doença repetimos operação do papel por 2/3 dias e comparamos a evolução..


ALTERAÇÃO NAS FEZES:

Na consistência e composição,

Começo com esta nota:
Fezes de uma fêmea no ciclo reprodutivo, têm uma quantidade muito maior em dimensão e em líquidos e são consideradas normais, são também mais aquosas e mais pastosas.
Mais à frente explicarei o porquê.

Na coloração das fezes;

Fezes escuras (causas diversas, inclusive longo período sem se alimentar).
Se um pássaro não se alimenta de nenhum alimento sólido por um longo período, a porção fecal pode- se tornar preta, ou verde bem escuro (quase preto) e de consistência peganhenta. Este tipo de fezes geralmente é confundido pela presença de sangue, mas na verdade é a produção da bílis que as torna negras.
Fezes pretas podem significar também sangue digerido (decorrente de enterites severas). Não é um bom sinal, o mais adequado é levar a um veterinário para diagnóstico. Porque a medicação ERRADA nestes casos pode fazer pior.

FEZES VERDE-ESCURO ,URINA COM CONS DE VERDE OU AMARELO: são indicativos de sobrecarga hepática (intoxicação, infecção, excesso de gordura na dieta, etc.).E requerem tratamentos hépaticos fracos.

FEZES DIARREICAS E C/ SANGUE:, Podem indicar sangramento vindo do sistema
digestivo, cloaca ou oviduto (o sangue é proveniente de hemorragias causadas
pela destruição de células intestinais). E é o caso mais grave.

FEZES AMARELADAS: indicam má absorção e digestão dos alimentos por problemas
no pâncreas ou fígado

nota:
As fezes também podem ser diferentes de uma ave para outra, pois algumas comem mais sementes, e têm as fezes mais durinhas e sequinhas, e outras preferem mais verduras e papa, bebem mais água, e assim têm as fezes mais volumosas e claras. Mesmo quando estão juntas na voadeira e recebem o mesmo alimento, as fezes podem ser diferentes

Na coloração da urina

Os rins excretam o urato (de cor branca) produzido pelo fígado. Quando ocorre alteração na cor, pode significar que o fígado pode estar comprometido. Problemas hepáticos podem ser causados por bactérias ou vírus, a maior parte das doenças é curável.

URATO AMARELO: pode indicar problema no fígado e uma possível insuficiência Hepática.

ALTERAÇÕES GRAVES:

DIARREIA:
(Se a porção fecal não está formada, então sim é chamada de diarreia. Importante saber que a presença de um volume maior de urina, não importa a quantidade que for, resultando em fezes aquosas, mas com a porção fecal sólida, não significa diarreia, o que é comum acontecer e é muitas vezes confundida.)
 As fezes podem absorver a urina, dando a falsa impressão de diarreia.


Na diarreia, as fezes podem sair como um jacto, sem nenhuma parte sólida no meio, ou com pequenos pedaços no meio de um borrão aquoso.

A diarreia pode desidratar a ave em poucas horas, motivado pelo seu metabolismo acelerado.
 POSSIVEIS CAUSAS:

-Indisposição intestinal (mudança abrupta da dieta, consumo em excesso de uma semente especifica em excesso (normalmente sementes gordas) verduras ou frutas, alergia ao alimento, etc.).
- Parasitas, protozoários, viroses, toxinas;
- Água ou alimento contaminado;
- Alimentos inadequados à ave (ingestão de lactose, por exemplo).
Mesmo a ave sendo medicada, uma diarreia não cura da noite para o dia. O que acontece é que a quantidade de água nas fezes vai diminuindo ao longo de uma semana.
Normalmente deverá deixar a ave apenas a aveia descascada e na agua colocar num bebedouro uma capsula de UL250.
No máximo durante 3 dias após esse período a ave deve estar curada.
 Se não houver resultado satisfatório ao fim de 3/4 dias com a medicação, deveria consultar um veterinário.

As fezes não devem cheirar mal, quando isso acontece “pode” ser sinal de doença bacteriana.
 A fêmea, quando está na fase de reprodução, pode apresentar fezes dessa forma, desde que pastosas. Se saírem sob forma de jacto (excesso de urina) e fétida, não é normal.

A presença de sementes nas fezes inicialmente pode ser um sinal de má digestão, má absorção do alimento pela flora intestinal, quer seja pelo próprio alimento (sementes velhas ou com toxinas), como pelo uso de medicamentos (antibióticos) que atacaram também a flora intestinal ( quando medicamos à sorte ou porque fulano diz que faz bem).
 Outras possíveis causas: parasitas, pancreatite, proventriculite, ventriculite, ou doença intestinal.
 É importante ser um veterinário analisar as fezes e indicar o melhor tratamento, finalizando-o SEMPRE com o uso de probióticos.

O importante mesmo é observar o comportamento da ave: se apesar da diarreia ela se mantiver activa, comendo normalmente, é porque a ave está conseguindo compensar a perda de água bebendo mais água.
 Vale a pena, nesses casos, fornecer electrolíticos (soro comercializado para este fim, existe em casas de animais e produtos veterinários, geralmente é uma saqueta que se dilui em água).
 De preferência deve dar-se directamente no bico, já que a ave rejeita o produto no bebedouro e acaba por beber menos líquido do que deveria porque não consegue encontrar água fresca.
O que é exactamente o contrário do que pretendemos.

- FEZES PASTOSAS:
 (Com mais líquido que o normal, mas ainda com “algum” formato)
São alterações comumente causadas por vermes ou alimento.
 As causas podem ser variadas e o tratamento deve ser feito seguindo a orientação de um veterinário.
 Voltamos a citar a excepção no caso das fêmeas na reprodução que devido à acção dos hormônios femininos na época da postura provoca( principalmente nas fêmeas adultas) terem fezes mais pastosas, volumosas, e fétidas, o que é considerado normal.

-INTOXICAÇÃO:
Quando a ave ingere algo que lhe faz mal, as fezes ficam verde-escuro, podendo tingir o urato e urina de verde.
 Se a ave estiver activa e apetite normal, basta ministrar um antitóxico na água ou directamente no bico, e mantê-la apenas com alpista e aveia descascada por alguns dias, até as fezes voltarem ao normal. Se a ave tiver qualquer outro sintoma, como falta de apetite, apatia, penas arrepiadas, sono excessivo, procure um veterinário.

- LESÕES INTESTINAIS:
Algumas infecções bacterianas agudas ou parasitas podem causar lesões intestinais e a ave passa a defecar sangue vivo, ou as fezes saem completamente pretas, por causa do sangue digerido.
 Ambos os casos SÃO GRAVES e requerem auxílio veterinário.

Quando a ave está doente, deve ser isolada das demais aves e ser mantida aquecida (com uma lâmpada pequena, de forma indirecta ou em gaiola Hospital), mas de preferência sempre em local pouco iluminado e silencioso. No caso de usar uma lâmpada, cubra a parte de cima e laterais com uma toalha ou um pano, para que dê à ave a sensação de protecção e tranquilidade que precisa nesse período. E tenha cuidado com o excesso de calor da lâmpada.

IMPORTANTE!!

Para descobrir a real causa da alteração das fezes, pode ser necessário um exame mais específico das mesmas. Mas antes mesmo disso, leve em consideração dados simples, do dia-a-dia, que interferem nas fezes, especialmente se estiverem diarreicas.

A ordem da investigação é a seguinte:

1) Stress por mudança ambiente
2) Alimentação
3) Qualidade das Sementes (microtoxinas)
4) Mistura/Papa (muitas aves tem diarreia por longo período devido à adaptação a ela, principalmente se tiver corante)
4) Qualidade da água (Cloro na água; suja de fezes, restos de sementes etc.)
5) Agro-tóxicos nas verduras e legumes (procure lavar sempre bem e secar as verduras).
6) Infecções parasitárias, vermes, coccidiose, etc. (somente é possível identificar por exame de fezes ou o veterinário em exame ao microscópio)
7) Pancreatite * (fezes amarelo ou verde bem claros)
* são diversas as potenciais causas da pancreatite, que incluem obesidade, dieta com excesso de proteína, intoxicação por zinco, microtoxinas, e doença viral.

Nas fezes diarreicas, pode ser dado inicialmente um polivitamínico associado a aminoácidos e electrólitos, para ajudar a manter a ave hidratada e suplementar os minerais perdidos nas fezes por conta desse quadro clinico. Até o início do tratamento administrado por um veterinário.
 No caso de fezes que apresentam alimentos não digeridos por má absorção do organismo, pode ser dado um probiótico para ajudar no restabelecimento da flora intestinal.

Em ambos os casos, a dieta da ave precisa ser reajustada para o período durante o tratamento:

Alimentos que sejam facilmente digeríveis e de fácil absorção para facilitar o trânsito intestinal, devem ser a prioridade.
a) Verduras, frutas, devem ser evitados,
b) Fornecer alimentos com baixo nível de fibras, e que contenham carboidratos facilmente digestível (alpista e aveia sem casca arroz cozido (al dente)),
c) Diminuir a percentagem de alimentos proteicos ou excluir mesmo dependendo do caso.
d) Suplementação vitamínica (vitamina A e E) pode ser necessária,
e) Fornecer grit e carvão vegetal em alguns casos para ajudar na absorção dos alimentos e melhorar a digestão.
Finalizo relembrado dois aspectos fundamentais…

A) As aves têm o trânsito intestinal rápido, por isso a alimentação influencia na cor, formato e consistência das fezes.

B) As características das fezes são diversas, dependendo da espécie, idade e tamanho da ave, do período do dia, tipo de dieta consumida, volume de água ingerida, doença renal e fígado, medicamento administrado, presença de patologias parasitárias, bacteriológicas, fúngicas e virais, etc.
C) Só um perfeito conhecimento da ave nos permite identificar um problema e estabelecer um diagnóstico. EM CASO DE DUVIDA CONSULTE UM VETERINÁRIO SEMPRE!
Muitas vezes salva-se melhor “AQUELA AVE” que faz a diferença…



um abraço e continuação de boas criações a todos...

6 comentários:

  1. Olá,
    Parabéns pela excelente explicação apresentada.
    Saudações ornitófilas.
    Armindo Tavares.

    ResponderEliminar
  2. boas amigo josé realmento grande esplicaçao

    um forte abraço

    http://avesdocostaacores.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Boa noite !

    Sou iniciante neste andamento que é a criaçao de canarios mas gostei bastante de ter lido este seu post.
    Achei bastante bom e que faz muita falta saber. Ainda á pouco tive uma ave doente e referia a parte branca por branca mas nunca pensei que pudesse ser urato e tbm a urina juntamente. Quem por acaso me alertou ate foi o Sr. Armindo, pois pedi-lhe ajuda atraves do blog e foi muito generoso em me ter respondido e ajudado para situaçoes futuras, assim como com esta sua explicaçao vou começar a ter td isto em atençao.
    Muito obrigado por partilhar o seu conhecimento com todos os que leem o seu blog.
    Cumprimentos e + uma vez obrigado

    ResponderEliminar
  4. Bom apontamento, elucidativo e educativo. É efectivamente um excelente meio de analise. A ornitologia sem partilha de conhecimento deixa de ter interesse a quem inicia a actividade, dadas as dificuldades inerentes à mesma. Abraço e continuação do bom trabalho já desenvolvido.

    ResponderEliminar
  5. José,
    Muito boa postagem!
    Todo criador deveria ler.
    Um abraço
    Alexandre e Carla

    ResponderEliminar
  6. Sou mais um amante destas pequenas aves que nos traz muitas alegrias pelos êxitos alcançado e beleza das mesmas,
    gostei imenso de que li, ainda bem que á pessoas assim abertas ao expor o seu cunhecimento, só assim se pode melhorar ornitologia em Portugal.

    Bem haja pelas suas palavras, boas criações

    Um abraço amigo
    Mário Domingues

    ResponderEliminar